25 insanidades que falham na inovação (tradução livre)

Atualizado: 15 de jul.






AUTOR : prof . Rui Santo

iursanto@gmail.com


25 Insanities that Fail Innovation (título original)


Um pequena introdução


Porque você precisa conhecer esse trabalho?


Para desmistificar a criatividade e inovação, assunto da moda e de debates intermináveis, vem a minha mente à famosa citação de Thomas Edison, para ilustrar o que vamos discutir agora.


É a seguinte:


-“ Eu não falhei 10.000 vezes. Apenas descobri 10.000 maneiras que não funcionam. ”.


O que será que o professor Rui contaria a Thomas Edison para evitar tanto suplicio?


Vale a pena conferir:


Mas não esquece.


Vamos liberar em doses homeopáticas para facilitar a leitura, entender e colocar o aprendizado em prática.


Valerá a pena.


Obrigado prof Rui por liberar esse artigo para Asgard /Newbiznis .


Vamos tratar com muito carinho.


Resumo:


Neste artigo¹ apresentamos 25 insanidades praticadas pelos inovadores que efetivamente os conduzem/lideram/educam para o fracasso da inovação.


Essas insanidades publicadas separadamente em português no LinkedIn² , agora estão unidas e resumidas neste artigo, disponíveis em português e inglês.

Identificamos mais de 40 insanidades, mas, por facilitação desta mídia, apresentamos estas 25.


As demais dependem do manuseio da balança de três pratos para serem compreendidas e solucionadas pelos inovadores, as quais são habilitadas em ocasiões presenciais.


Por outro lado, estas insanidades são extraídas da minha prática pessoal, dos meus estudos e experiência como consultor, desenvolvedor, professor de MBA e autor desde 1999, e estão sustentadas na teoria lógica matemática numérica que desenvolvi, S.I.T. - Self compare Ideas Theory³ , apresentada no livro; "A Balança da Inovação".


A Fig.1 expõe os elementos centrais da teoria e uma sintética descrição deles.


O leitor vai encontrar um ecossistema de inovação, uma (r) evolução disruptiva no cerne da própria gestão da inovação, completa de ponta a ponta, (1) desenvolvido exclusivamente do ponto de vista do usuário e (2) baseado em lógica - matemática

numérica, sem achismos, sem incertezas, com baixo risco.


Essas duas mudanças detalhadas na S.I.T. - radicais e (r) evolucionárias, levam o especialista a reconhecer soluções que, eles mesmos praticam, quando “estão” consumidores / usuários para economizar/evitar seus próprios esforços.


Essas “insanidades” existem porque os inovadores utilizam metodologias do ponto de vista da corporação (oposto ao item 1) e procedimentos baseadas em subjetividade, achismos que aumentam os riscos e incertezas (oposto ao item 2).


Esse Estado da Arte - alucinado e deslumbrado - nos conduz a tipos distintos de insanidades, para todos os gostos em todo o âmbito do processo de inovação porque esses dois erros se multiplicam exponencialmente negativamente: estamos do lado

errado “e” usamos metodologias equivocadas que pioram os resultados.


Em nenhuma circunstância, essas falhas devem ser entendidas como crítica, mas como:

1. Alerta,

2. Atenção,

3. Alarme,

4. Correção de divergências e vieses que surgem durante o projeto.


Para os profissionais é benéfico atravessar a rua para inovar LADO A LADO com o usuário e praticar METODOLOGIAS LÓGICAS –


MATEMÁTICAS para decifrar como foram solucionadas parcialmente há 120 anos por F. Taylor.


Outro objetivo deste artigo é dissolver as inúmeras lendas que dominam este tema. Compondo o cenário, é muito importante reafirmar e ressaltar que 97% das startups e 96% das inovações corporativas irão a falência, respectivamente conforme a CB In-

sights 5 e os estudos da Deloitte - Consulting 6.


Dito de outra forma, há perdas financeiras bilionárias, tempos em anos, recursos naturais desperdiçados, motivações enfraquecidas, profissionais capazes, golpeados neste que é o tema considerado o mais difícil das administrações.

Nesse cenário, podemos concluir que em pleno século XXI ainda não "sabíamos inovar sistematicamente", motivo provável para inúmeras empresas ainda não se envolverem nele.


Finalizando este resumo.


É útil salientar que algumas falhas apresentadas podem ser corrigidas imediatamente pelo inovador, tal a simplicidade requerida para correção alcançando mais eficiência em seus resultados.


Com o tempo outras correções virão com o conhecimento apreendido em cursos e palestras sobre a S.I.T., com o tempo de maturação profissional e com a oportunidade de aplicá-las.


Por hoje, ficando por aqui até a próxima.


Palavras-Chave: Gestão da Inovação, 25 insanidades, metodologia de inovação, avaliação de ideias, avaliação matemática de inovação, riscos e perdas, porque ideias falham, método lógico-matemático-numérico de inovar, falhas em startups, fracassos corporativos em inovação, evolução da inovação, inovação pelo foco do cliente/usuário, metodologias subjetivas, cenários inovadores, desenvolvimento de ideias, gestão de projetos inovadores.



17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo